Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Coisas (des)Interessantes

Não penses que o mundo, a vida ou o tempo, te vão devolver alguma coisa daquilo que fazes. Nem tens de pensar isso sequer! Simplesmente faz!

Coisas (des)Interessantes

Não penses que o mundo, a vida ou o tempo, te vão devolver alguma coisa daquilo que fazes. Nem tens de pensar isso sequer! Simplesmente faz!

17
Mar13

Inspira-me e o gosto pela leitura!

mudadelinha

Eu não sou muito de falar do que leio, ou do que deixo de ler. Não sou de fazer críticas literárias, nem nada semelhante, porque não tenho posição, nem cultura para o fazer, apesar de adorar ler. Penso que cada um tem os seus gostos, o seu estilo de leitura, escritores preferidos e, escritores que não gosta tanto. Para fugir um bocadinho a isso, opto por falar "nisto" apenas quando me apetece, por uma questão de respeito pelos gostos e preferências de todos.´

 

Adoro ler desde que me lembro. Há livros que ainda estão na minha posse, que foram os primeiros que li e, lembro-me de a minha mãe e, o meu pai me lerem á noite, quando era pequena. Desde que entrei na escola primária, eles levavam-me todos os anos á Feira do Livro, no Porto, que se realiza no Palácio de Cristal (agora não me recordo com precisão a data, mas penso que seja no mês de Maio/Junho, salvo erro). Lembro-me de comprar livros sobre golfinhos, sobre borboletas e, sobre cães. Vinha encantada para casa, aquele dia fazia-me feliz o resto do ano. Na Páscoa, no Natal, no meu aniversário, a família mais próxima enchia-me de livros, de bonecos, daqueles com relevo, tudo e mais alguma coisa. Desde que me lembro, sempre fui uma apaixonada por livros! Lembro-me de ler Uma Aventura, Os Cinco, Os Sete, O Colégio das Quatro Torres, As Gémeas e, muitos outros que não me recordo com toda a certeza dos seus títulos e autores. 


Ao longo dos anos, fui-me apercebendo que a leitura, os livros, eram um refúgio na minha vida. Entrava naquele mundo e, não queria sair, porque ali era onde me sentia bem, com aqueles "amigos". As personagens entravam, de tal maneira na minha vida, que fizeram de mim o que sou. Dentro do meu coração guardo, com todo o carinho, todas as personagens, todos os valores que os livros me incutiram. Quando entrei na escola básica, no 5º ano, começei a gostar de ser eu a escolher os meus livros. Entrava na biblioteca, durante os intervalos e todas as semanas trazia um livro para casa. Adorava a colecção "Viagens no Tempo", da dupla Isabel Alçada/Ana Magalhães e, foram talvez os livros que mais interesse me despertaram. Posso destacar "O Ano da Peste Negra", "A Descoberta do Brasil", "Viagem á índia", entre muitos da mesma colecção. Esta colecção despertou-me, ainda, o interesse pela história. Claro que os professores, ao longo dos anos, ajudaram nesta caminhada e, felizmente, tive excelentes professores de português e, de história, que me ajudavam a descobrir os meus interesses literários e, a procurá-los.


Não posso dizer que, nos dias que correm, leio todos os dias. Mas, posso dizer que sinto falta disso e, que sempre que o faço, são os minutos mais importantes do meu dia. Continuo a ser apaixonada por livros, gosto de falar "em voz alta" sobre isso, respeito gostos e preferências, porque eu tenho os meus e, não gosto de ser criticada. Continuo a entrar no mundo que o livro tem para me oferecer, a apaixonar-me por cada personagem, a ficar com um pedacinho dela, porque cada livro me ensina uma lição de vida! E, por esta e, muitas mais razões que não são explicáveis, agradeço a cada livro que faz parte da minha vida e, do meu coração, porque eles são meus amigos, são os meus melhores amigos. Absorvem os meus problemas e, as minhas fustrações, as minhas alegrias e tristezas. E mais que isso, permanecem! Posso afirmar e, com alguma certeza, que muita da falta de educação que se assiste, hoje em dia, por parte de crianças e pré-adolescentes, na rua, na escola, nos supermercados, se deve muito á falta de livros. Os livros preparam-me enquanto pessoa, fizeram-me crescer e, amadurecer. E, é isto que sinto, sempre que acabo de ler um livro, que ele me ensinou alguma coisa!


Posso dizer que, ao longo dos anos, vários livros me despertaram interesse, mas os principais foram (não consigo escolher só um):

O Ano da Peste Negra, de Isabel Alçada e Ana Maria Magalhães;

Momentos Inesquecíveis, Diário da Nossa Paixão, de Nicholas Sparks;

Três Semanas com o Meu Irmão, de Nicholas e Micah Sparks;

O Principezinho, de  Antoine De Saint-Exupéry;

Triologia "O Ceptro de Aerzis", de Inês Botelho;



 

 

 

1 mudadelinha

Comentar