Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Coisas (des)Interessantes

Não penses que o mundo, a vida ou o tempo, te vão devolver alguma coisa daquilo que fazes. Nem tens de pensar isso sequer! Simplesmente faz!

Coisas (des)Interessantes

Não penses que o mundo, a vida ou o tempo, te vão devolver alguma coisa daquilo que fazes. Nem tens de pensar isso sequer! Simplesmente faz!

05
Abr17

Face to Face Aldeias Crianças S.O.S: Nenhuma criança deve crescer sozinha.

mudadelinha

Bem... venho falar-vos um bocadinho do projeto em que estou envolvida, o qual falei ontem e as razões pelas quais decidi aceitá-lo sem pensar duas vezes! Sei que há muitas causas, que há muitas instituições, que há muitas associações, e que muitas delas são enganosas, que se aproveitam de causas e de lutas como esta para se aproveitarem da boa vontade das pessoas e obterem fins lucrativos. Isso revolta-me, porque acho que se toda a nossa sociedade trabalhasse em equipa, conseguíamos mais e muito melhor!

 

 

As aldeias de crianças s.o.s estão em portugal desde 1964, foi neste ano que foram aprovados os estatutos desta associação, sendo que a primeira aldeia foi inaugurada em 1967, em Bicesse (Cascais). Neste momento, existem três aldeias de acolhimento em Portugal, uma Gulpilhares (Gaia), em Bicesse (Cascais) e, a última, em Guarda. De uma maneira muito sucinta vou explicar o que se faz nestas aldeias de acolhimento, qual a sua missão e, como se pode lá chegar. As aldeias de crianças s.o.s estão, neste momento, em mais de 134 países e, já foram nomeadas 14 vezes para o Prémio Nobel da Paz e, o principal objetivo, é oferecer a estas crianças a possibilidade de crescerem num ambiente familiar, rodeadas de amor e, de carinho, como todas as crianças o merecem. Cada criança pertence a uma familia e merece respeito, amor e segurança!

 

O que é que as aldeias fazem de diferente das restantes associações que conhecemos? As aldeias e, agora falo apenas em Portugal, porque cada país tem objetivos diferentes, consoante as suas necessidades sociais, acolhem crianças retiradas ás familias , por razões de violência, de maus-tratos (fisicos e psicológicos), por serem orfãs e, coloca-as numa aldeia. A finalidade é acompanhar e proteger as crianças e jovens que se encontram em situação vulnerável, com o objetivo de promover o seu pleno desenvolvimento e autonomia, através do acolhimento, prevenção e do fortalecimento das suas redes familiares e sociais. Atuar junto de crianças que perderam os cuidados parentais ou em risco de os perder. As aldeias oferecem uma oportunidade à criança de poder crescer numa familia, com irmãos e com pais s.o.s. O que diferencia as aldeias? No meu ver o que diferencia (e muito!) as aldeias s.o.s das restantes instituições são principalmente três fatores, além de muitos outros, que poderia estar agora aqui a falar:

  • As mães s.o.s - perguntam-me vocês o que é isso e, eu passo a explicar. Se a finalidade é oferecer uma familia à criança, essa ideia passa também por a criança ter uma mãe, uma verdadeira mãe, uma verdadeira figura maternal! Com ela, a criança partilha alegrias, experiências, preocupações, angústias e sonhos. A sua entrega é incondicional.A Mãe SOS dedica a sua vida a crianças que não são suas, mas a quem deseja o melhor que a vida tem para dar. Dá colo, educa, mima e aceita as crianças como elas são, dando-lhes a segurança, a estabilidade e o carinho que tanto precisam. As Mães SOS são o núcleo fundamental das nossas famílias e contam com a ajuda de Educadores, Psicólogos, Assistentes Sociais e “Tios”, que ajudam ao desenvolvimento pleno de cada criança. Existem aldeias que têm mãe e pai s.o.s, mas torna-se muito mais complicado ser assim, porque se o processo de recrutamento para mães s.o.s já não é fácil, quanto mais para um casal s.o.s.
  • Os irmãos - Nas Aldeias de Crianças SOS não se separam irmãos biológicos. Nas nossas casas, temos fratrias de dois, três ou mais irmãos, que vêm juntos de uma situação familiar difícil e aqui encontram uma nova família.O vínculo que existe entre os irmãos é único e natural. Sabemos que na grande parte das instituições não é assim, e este para mim é o grande diferenciador! Desde inicio, desde que ouvi falar das aldeias, que este pequeno ponto, ganhou todo o meu respeito!
  • Por último, mas não menos importante, a idade miníma obrigatória para sair da aldeia - nenhum jovem tem uma idade miníma para sair da aldeia. Cada criança/jovem tem um plano individualizado de desenvolvimento e, muitos vão para a faculdade e, muitos outros começam à procura do primeiro trabalho, mas não é o facto de terem 16, 18, 21 anos que implica que saiam de perto da sua familia e, se deparem com a vida sozinhos!

 

Este é um projeto diferente para mim, é dificil sensibilizar as pessoas para uma causa, mas quando é possível sabe melhor! Quando estamos a defender causas como esta, e vemos com os nossos próprios olhos que é possível, sentimo-nos seguros daquilo que estamos a defender, e que não estamos a defender mais uma. Espero muito que leiam com atenção e, que se nos encontrarem por aí na rua e, tiverem possibilidades claro, peço apenas para ouvirem, e ouvirem com o coração!

 

Deixo apenas um video para que possam ver com os próprios olhos daquilo que falo, porque já vi este video algumas vezes e emociono-me sempre:

 

 

Deixo os sites só por curiosidade:

Aldeias de Crianças S.O.S

Página do Facebook

 

"Nenhuma criança deve crescer sozinha!"

 

 

 

04
Abr17

não tive tempo de me preparar para isto!

mudadelinha

A última semana foi de loucos, e o quanto eu odeio isso! Ontem e hoje acabo o dia com umas incriveis dores de cabeça, que parecem não ter fim e parecem não quererem me largar, pelo menos nas próximas horas. 

 

Na saga de procurar um trabalho, e no meio dessa preocupação aliada com aulas e, outras preocupações de menor importância, consegui uma estrevista para um projeto, ligeiramente diferente daquilo que estava à espera. O trabalho seria todos os dias úteis, durante uns míseros 15 dias, das 12.30h às 18.30h, com uma pausa para almoço. Não vou mentir, apesar de ser diferente daquilo que eu quero e daquilo que eu procuro, entusiasmou-me imenso e, gostei daquilo que ouvi. Mas não esperava conseguir, nem esperava que me ligassem para uma segunda entrevista. A verdade é que me ligaram e, eu nem pensei muito bem na minha vida, nem em horários, nem nada parecido. Aceitei toda entusiasmada e fiquei toda empolgada. 

 

Passo-vos a explicar. O trabalho é normalmente em pontos aleatórios do centro do porto, nunca é dois dias no mesmo sitio, e eu tenho ido sempre de carro, porque as minhas aulas começam sempre ás 18.30h, e para não chegar interminavelmente atrasada, levo o carro e, deixo-o sempre nalgum parque de estacionamento (não vos vou dizer quanto gasto em parques, porque nem vale a pena). Saio às 18.30h e, voo para as aulas, sempre a tentar não chegar tão atrasada. Impossível, esteja onde estiver, o trânsito à hora que é, é impossível!!

 

Começei na quinta-feira, e por um lado até é bom, porque nas próximas duas semana vou estar de pausa de Páscoa e, assim não me prejudico a chegar atrasada às aulas, mas no fim-de-semana seria suposto estar de "folga" ou pelo menos descansar, mas como se não chegasse já estar a trabalhar durante a semana, ainda fui trabalhar o fim de semana todo!! E PIOR... tinha um trabalho para entregar hoje, dia 4 de Abril, até à 00.00h, que ainda nem sequer o tinha começado e, tinha aulas no sábado de manhã. E só pensava... como se já não fosse mau o suficiente ter aulas ao sabado, nem aí entrava de fim de semana, porque mal sai das aulas fui trabalhar. 

 

Sempre que pensava no trabalho fica louca, então o que aconteceu foi que até ontem, porque hoje já não aguentava fazê-lo, ontem por volta desta hora estava a sair das aulas e, já parecia um morto vivo de pé, foi dormir 4 horas por dia, para me levantar todos os dias às 06.00h para fazer o trabalho e, ir trabalhar ao 12.30h, para sair às 18.30h e ir para as aulas, das aulas para casa, para a rotina começar de novo! No sabádo à noite, enquanto trabalhava, o cansaço já era tanto, que desatei a chorar!

 

Hoje, como já disse, estou com umas horríveis dores de cabeça, mas estou com uma pontinha de orgulho de mim, porque independemente de tudo, consegui! Não falhei nada, entreguei o trabalho a tempo e horas, fui trabalhar, fui às aulas e, apesar de chegar atrasada não faltei a nenhuma. As aulas acabaram ontem, e eu como adoro a palavra "férias", decidi que não tinham de acabar ontem. Há um mês atrás tinha me inscrito num curso de Medicina Legal, que tem a duração de 3 dias e, é das 18.30h às 20.00h. O primeiro dia foi hoje, e será quarta e quinta-feira. Vamos continuar a correr mais dois dias, mas está quase! Na sexta já posso abrandar um bocadinho e, o projeto termina na próxima semana, por isso está quase quase!!

 

Beijinho de boa semana!

26
Mar17

L

mudadelinha

L, 

Tanta coisa para dizer, e as palavras teimam em não sair como deviam. Nunca tivemos um dia definido do inicio do nosso namoro, mas sei que, mais dia, menos dia, estàmos quase a completar dois anos. E se algum dia tive medo de voltar a sentir isto, digo-te, hoje, que nem sabia o que era sentir isto. Passados dois anos, os sonhos começam a ser apalpáveis, os planos começam a realizar-se devagar devagarinho. Os objetivos vão-se concretizando, cada um na sua vez. E nós? Cá estamos, passados dois anos! Não me perguntes se algum dia pensei que fosse possivel, nao me faças perguntas dificeis! Hoje acredito que é possivel, hoje acredito em nós, hoje quero e não me consigo ver a idealizar outro futuro que nao este! É triste quando tento mostrar a mim, por orgulho, teimosia ou mero mimo, que consigo viver facilmente sem ti... é desnecessario tentar faze-lo, porque em menos de cinco minutos percebo que não consigo!

 

<3 

 

2017-03-26 19.11.49.jpg

 (estafotografiaédaminhauatoria)

 

Um bom domingo e uma boa semana.