Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Coisas (des)Interessantes

Não penses que o mundo, a vida ou o tempo, te vão devolver alguma coisa daquilo que fazes. Nem tens de pensar isso sequer! Simplesmente faz!

Coisas (des)Interessantes

Não penses que o mundo, a vida ou o tempo, te vão devolver alguma coisa daquilo que fazes. Nem tens de pensar isso sequer! Simplesmente faz!

14
Fev14

Dia dos namorados!

mudadelinha

   Não deixei de acreditar no amor só porque a Cláudia Vieira e o Pedro Teixeira se separaram. Todos os dias há casais a casarem-se e, casais a divorciarem-se. É o ciclo da vida, é o ciclo da felicidade. 

 

   O amor continua a existir. Vejo amor todos os dias... infelizmente! Difícil, é as pessoas aceitarem-se e, deixarem de "apontar" o dedo. Não podemos exigir que um casamento dure anos e anos, porque o conceito de amor (aquele conceito muito geral) já não é o de "antigamente", que implicava casar, ter filhos e, viver com a mesma pessoa até ao fim. Não me esqueço que, para os meus avós o divórcio continua a ser um daqueles assuntos "tabu".

 

 

     Hão-de-me dizer quantos são eternamente felizes? Isso já não existe! São escasos! Não, nos tempos de hoje! Não é por isso que deixei de acreditar no amor e, contradizendo-me, não deixei de acreditar que ele pode e, é eterno. Só não acredito que para isso as pessoas fiquem juntas para sempre. 

 

   As pessoas banalizaram  o amor. Confundem o amor com afecto, com amizade, com carinho, com paixão. O amor é um dedicação extra na vida de cada pessoa, é um trabalho que devemos gostar, uma "profissão" que nos faz feliz, uma planta que devemos regar todos os dias. Ou aprendes a aceitar que a pessoa não é igual ao que tu idealizas-te, ou nunca irá dar certo. Ou, aprendes que tens de dar o "braço a torcer", ou podes esquecer.

   

   Todos os dias, consigo ver demonstrações de amor e de carinho! Basta observar que, todas as noites a minha mãe prepara, cuidadosamente, o jantar e, espera pelo pai para jantar. Espera ela, eu e, a minha irmã. Não a vejo aborrecida com isso, cansada vejo-a muitas vezes, mas nem por isso aceita que outra pessoa o faça. Ela apanha as cuecas e as meias dele, limpa-lhe a casa-de-banho e, nunca ouvi a minha mãe a chatear-se com isso. Em contrapartida, todos as manhãs, ele leva os sacos do lixo, junta a lenha para se acender o fogão e, faz tudo o que for preciso. Não há um único dia em que o meu pai se esqueça de ligar, á hora de almoço, só para saber se está tudo bem. Estão casados há 23 anos! Discutem como todos os comuns imortais, mas nunca ouvi falar de divórcio, nesta casa. Há sacrifícios, há múltiplos e esforços extra. E, é disso que é feito o amor, de sacrifícios. Contem-me quantos são os que fazem isto hoje em dia?

 

 

 

   

    

 

 

 

 

  

1 mudadelinha

Comentar