Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Coisas (des)Interessantes

Não penses que o mundo, a vida ou o tempo, te vão devolver alguma coisa daquilo que fazes. Nem tens de pensar isso sequer! Simplesmente faz!

Coisas (des)Interessantes

Não penses que o mundo, a vida ou o tempo, te vão devolver alguma coisa daquilo que fazes. Nem tens de pensar isso sequer! Simplesmente faz!

29
Dez16

Das minhas opiniões**

mudadelinha

Adoro música, sempre adorei música. Aprendi a tocar piano quando era criança, mas a minha paixão era aprender a tocar guitarra. É uma das minhas ambições, um dos meus sonhos, continuar a aprender a tocar piano e aprender a tocar guitarra. 

Sempre gostei de vários estilos musicais e, cresci com música. E sempre adorei música portuguesa. Em Portugal ainda se faz muito boa música. Cresci a ouvir João Pedro Pais, Xutos e Pontapés, Luís Repressas, Rui Veloso, os UHF, os Delfins e, outros. 

 

No entanto, cada vez mais acho que se desvaloriza muito aquilo que se faz em Portugal. Não só a nível da música, mas falo da música porque tenho lido imensas opiniões de que a música em Portugal não vale nada. Ainda se faz muito boa música em Portugal e, acho que se devem valorizar os artistas mais recentes, porque pelo menos tentam a sorte. Claro que cada um identifica-se mais com uns, do que com outros, como cada um se identifica mais com um género musical. Mas têm surgido muitos nomes na música portuguesa que são de valorizar.

 

 

27
Dez16

O que levo de 2016...

mudadelinha

2016 foi um ano longo, muito longo. Tanto de coisas boas, como de coisas más. 2016 deu-me muitas alegrias... ai se deu!

Deu-me uma sobrinha/afilhada "emprestada", que adoro como se fosse minha. E é das coisas mais bonitas que levo de 2016.

2016 reforçou os laços que já tinha com o L., momentos incriveis, uma viagem incrível a Palma de Maiorca, que ainda não partilhei aqui mas que quero muito fazê-lo, um verão magnifico a trabalharmos juntos, quase sem nunca nos chatearmos.

E, não menos importante que isto, fez-me crescer imenso a nível pessoal e, pode-se também dizer que a nível profissional. Trouxe-me mais um bocadinho de responsabilidade. Depois de tanto esforço, depois de muitas lágrimas, depois de muitas discussões, de muita dedicação, muitas horas mal dormidas, muito cansaço acumulado no corpo e na mente, consegui passar a 10 cadeiras de uma só vez. E soube-me muito bem!

 

Foi um ano agridoce, mas do qual vou de coração cheio!

 

6..jpg

(esta fotografia é retirada da internet)