Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Coisas (des)Interessantes

Não penses que o mundo, a vida ou o tempo, te vão devolver alguma coisa daquilo que fazes. Nem tens de pensar isso sequer! Simplesmente faz!

Coisas (des)Interessantes

Não penses que o mundo, a vida ou o tempo, te vão devolver alguma coisa daquilo que fazes. Nem tens de pensar isso sequer! Simplesmente faz!

14
Mai18

Coisas do amor #11

mudadelinha

Bem, isto não é uma história fofinha, nem lamechas, muito pelo contrário, é uma história engraçada, para perceberem o que uma mulher atura com homens e para perceberem o namorado que tenho, porque as pessoas acham que sou maluca e que ele é um santo.

 

 

Expliquem-me qual seria a vossa reação quando o vosso namorado sai muito atrapalhado o carro porque o botão das calças rebentou, porque ele se esticou para ir buscar qualquer coisa ao lugar do passageiro? Ah! E não tinha cinto, sim porque essa foi a melhor parte. 

 

A reação dele valeu por todas. Ele sai do carro e eu estava a tagarelar qualquer coisa (como sempre!) e ele simplesmente não me respondia, ao que eu exclamo "Fogo, amor, estou a falar para o tecto, não me respondes?". E ele estava muito sério a olhar para baixo, parecia que estava à procura de alguma coisa que tivesse caído ao chão, mas não. Olha para mim muito atrapalhado, parecia literalmente uma criança, como se eu fosse gitar com ele ou qualquer coisa parecida, e eu volto a dizer-lhe "Que se passa? Está tudo bem contigo?" e ele faz-me aquele olhar como a mandar-me olhar naquela direção, mas eu não percebi, ao que ele me diz num tom de voz engraçado "Oh amor saiu-me o botão das calças e agora? Não tenho cinto, as calças vão-me cair! Acho que devo estar qualquer cosita mais gordo."

 

Olhei para ele com uma vontade enorme de me rir, tentei perceber a aflição dele, mas não consegui controlar-me e ri-me tanto. Fui o caminho todo a rir-me até ao Senhor de Matosinhos, e ele estava super envergonhado porque estava mais gordo, e já tinha aquelas calças há imenso tempo e fui que lhas dei, e nunca lhe tinha acontecido aquilo.

 

Qual seria a vossa reação? Contem-me, porque eu só me ri.

25
Abr18

Como conheci o L. e como começamos a namorar

mudadelinha

 

Não me lembro do momento exato que conheci o L., já foi há muito tempo e não foi amor à primeira vista, antes tivesse sido. Conheci o L. porque ele trabalhava num lugar perto de onde eu trabalhava e já tinha trabalhado no mesmo sitio pelo que partilhávamos amigos. Mas pouco falava com ele, ouvia falar muito dele e de como ele era quando trabalhava com eles, mas nunca tinha falado muito com ele, também porque ele não aparecia muito por aqueles lados. Na altura que deixou de trabalhar naquele sitio a relação com os patrões não acabou muito bem e ele, então, raramente, aparecia, mesmo para ver os amigos. Quando o conheci ele namorava e eu também, mas ficou sempre uma relação engraçada por causa dessa coincidência e por já termos os dois trabalhado no mesmo sitio, apesar de nunca termos trabalhado juntos.

O L. é das melhores pessoas que conheço, sem ser suspeita (vou continuar a ser!), mas mesmo antes de gostar dele sabia disso. O L. é um rapaz que irradia luz porque está sempre bem-disposto, tem sempre uma boa palavra para toda a gente, está sempre a brincar e cativa todos os que o conhecem pela humildade e naturalidade que transmite, é a maneira de ele ser e de estar e sei que não sabe ser de outra forma. Somos um bocadinho diferentes nisso, ele é a pessoa mais descontraída, mais calma e bem-disposta que conheço, muito mais que eu.

Quando nos conhecemos ele já namorava há algum tempo e eu também, nunca imaginamos que um dia os nossos caminhos se pudessem cruzar, mas cruzaram-se e sou grata por isso todos os dias. Continuamos sempre a trabalhar nos mesmos sítios, mas quando a relação dele terminou, ele começou a sair mais com os amigos, que eram os meus colegas de trabalho e começamos a passar mais tempo juntos, porque os amigos eram os mesmos. Bem, começou tudo aí. Aliás, começou tudo em setembro, numa saída no fim de um dia de trabalho e o L. estava num estado muito engraçado e só dizia asneira, tanto que nem ele se lembra desta passagem. No meio de tudo o que fez, andou a noite toda a chatear-me e a dizer-me “Eu gosto muito de ti sabias? Tu não te acreditas, mas é verdade!”, como é lógico não me acreditei em nada e a uma determinada altura da noite até fugia dele com medo do que ele ia dizer a seguir.

Aquilo passou, quando lhe falei naquele dia ele nem se lembrava de metade, por isso vamos só imaginar o estado em que ele estava. Mas continuamos a estar juntos, a ir tomar café com amigos, a sair com os restantes do grupo. E tudo começou assim, às vezes mandava-me mensagem só a mim para ir tomar café com ele, outras mandava-lhe eu a ele, sempre como amigos porque até aqui nunca tinha pensado nele de outra forma. Sempre que saíamos à noite ou que estávamos num sitio com música ele pegava em mim para dançar (eu, que sou horrível a dançar!) e começou assim. Sei que a uma determinada altura o cheiro do perfume dele acompanhava-me diariamente e aquele perfume mexia comigo e sabia, perfeitamente, que já sentia alguma coisa, não sabia se ele também.

Andámos meses naquele clima, e nunca tive qualquer problema em avançar, mas não sabia se devia, mas um determinado dia ganhei coragem e acabamos por nos beijar. Não sei bem o que foi aquilo, no meio de tanto medo, eu soube que era ele e, por mim, o tempo tinha parado naquele dia. Fiquei sem saber reagir, ele principalmente, mas no dia seguinte voltamos a estar juntos. Ninguém sabia do que se tinha passado, nenhum dos dois queria contar a ninguém porque não sabíamos o que ia sair dali, por isso era muito melhor deixarmos só para nós. Mas, no dia seguinte, voltamos a estar juntos e quando me vinha embora, sem ninguém ver, ele deu-me um beijo na cara, e eu voltei para trás e eu dei-lhe outro, em forma de despedida.

Começou assim, andamos meses sem contar a ninguém, aliás nós nunca contamos a ninguém, mas já não sabíamos esconder aquilo que tínhamos. Andamos meses que só estávamos juntos ao sábado e nunca fomos de falar muito por mensagens, era muito raro trocarmos uma mensagem como deve ser, as poucas vezes que o fazíamos era com bonecos ou com brincadeiras parvas.

Às vezes falamos e brincamos com determinadas situações, rimo-nos e ele pergunta-me quando é que soube que estava apaixonada por ele e, sinceramente, desde sempre. Acho que soube desde inicio, mas custou-me a acreditar que estava mesmo. Ele diz que não sabe, mas que provavelmente foi quando nos beijámos, porque nunca mais esqueceu aquele momento, possivelmente porque fui eu que ganhei coragem para o fazer.

A melhor parte, aprendemos sempre a respeitar o espaço um do outro, ele comenta muitas vezes que era o maior dele e confesso que era o meu também. Gostamos imenso de fazer tudo juntos, de namorar, ir ao cinema, jantar, almoçar, lanchar, passear, sair à noite, mas também gostamos imenso de ter o nosso espaço e nosso tempo sozinhos, ou com os nossos amigos, e sempre compreendemos e respeitamos isso. Quando é difícil falamos, e tentamo-nos compreender o lado de cada um, não temos por hábito virar costas só porque sim, ou só porque ele acha que não e eu que sim, damos a cara e falamos sobre os nossos problemas. Olho para nós e penso que temos conseguido construir uma relação bonita, sempre com base no que sentimos um pelo outro e continuo-me a achar uma criança quando olho para ele, porque sinto-me como no primeiro dia e, todos os dias, agradeço-lhe por ter aparecido e por me ter feito acreditar novamente no amor, deu-me muitos novos sentidos.

 

 

12
Abr18

Das coisas do amor

mudadelinha

Temos passado por tanto juntos que quando sinto o abraço apertado do L. sinto que o meu mundo desaba todo ali e que todos os nossos problemas são minúsculos ao lado do que sentimos um pelo outro e o quanto lutamos juntos por tanta coisa. Digo-lhe muitas vezes que melhor lugar do mundo é estar dentro daquele abraço e ele ri-se, envergonhado. Mas o meu mundo pára efetivamente ali, naquele abraço, enquanto sinto aquele cheiro que me descansa e aquele barba que adoro mas que me irrita. Outras vezes sonho acordada com o abraço dele e espero ansiosamente por aqueles cinco minutos do dia, ou pelo dia, ou a hora, em que vou poder abraçá-lo. Só nunca chega a hora de não o largar mais, porque podíamos ficar eternamente ali, naquele abraço. O abraço dele resolve tudo, todas as dores, todas as preocupações, todos os problemas. Mas transmite esperança, quando me larga porque tem de ser, porque temos os nossos compromissos e as vidas não param ali, infelizmente, transmite-me fé e esperança de que o vou continuar a ter e de que aquele é e sempre será o melhor sítio do mundo.

 

Hoje, 12 de Abril de 2018, pensamos que namoramos há 3 três anos. Nunca tivemos um dia, uma data, não ligamos a isso, mas sabemos que este dia foi especial porque foi o que dia que nos beijámos pela primeira vez, então teimo em dizer que este é o dia em que começamos a namorar, mas não é, porque não sabemos quando foi. Rimo-nos muito com isto porque ele diz que começamos a namorar em Maio, eu acho que começamos a namorar em Agosto, acabamos por concluir que já éramos apaixonados um pelo outro há mais tempo que isso, e que essa data não simboliza nada. 

 

bb4250d4a5e73b924bb33fc404aaacac.jpg

Imagem retirada do Pinterest

 

01
Abr18

Coisas do amor #10

mudadelinha

Às vezes não há nada para contar sobre o amor porque também faz parte. Não são precisas frases bonitas, nem presentes bonitos ou caros e nem palavras bonitas são precisas. Grande parte das vezes basta aquele ombro quentinho, aquele abraço apertado que estava à nossa espera e aquelas palavras milagrosas, que nunca são iguais, mas que descansam e nos aliviam a preocupação e o stress do dia a dia. 

 

Melhor que qualquer presente, que qualquer jantar ou que qualquer atitude bonita, é a presença das pessoas. E é isso o amor. O L. tem sido o meu maior apoio desde que namoramos, não me abandona em nenhum momento, bom ou mau e lá à maneira dele está sempre presente, quando não está fisicamente sei que o coração dele está comigo. Nem sempre é fácil, há dias bastantes dificeis, porque desde que começamos a namorar temos horários completamente incompatíveis. Ele trabalha sempre à noite e só tem uma folga semanal, eu trabalho durante o dia e tenho o fim-de-semana, a não ser que vá trabalhar, o que às vezes acontece. Andamos sempre desencontrados e às vezes não é fácil encontrarmos um espaçinho para fazermos alguma coisa. Mas, não é impossível e com muita vontade e amor conseguimos. E tem sido ele a mostrar-me constantemente isso, que conseguimos passar tempo juntos mas é preciso paciência e calma e ele é a pessoa mais calma do mundo, muito mais que eu, e eu considero-me uma pessoa calma. Quando não conseguimos estar juntos andamos sempre a ligar um ao outro e, muitas vezes, uma chamada de 5 minutos resolve muita coisa. 

 

O melhor disto tudo, que se torna dificil mas não impossível, é o esforço que fazemos juntos, que vale por tudo, porque sabemos que lutamos os dois por alguma coisa, e se não dá hoje, dá amanhã, o importante é estarmos presentes. Tem sido uma caminhada bonita e nos momentos em que estou em baixo, por alguma razão, tenho orgulho, muito mesmo, daquilo que temos conseguido até aqui, porque nem sempre é fácil mas temos conseguido. 

 

E isto também é amor, quando não é fácil mas as pessoas tentam, e lutam e persistem porque gostam e porque querem. Não é impossível. Hoje é páscoa e partilho então um bocadinho de esperança.

06
Mar18

Coisas do amor #9

mudadelinha

Estávamos a falar de férias com um amigo e ele estava a comentar connosco que as férias em casal é a melhor forma de as duas pessoas se conhecerem, de conhecerem habitos e rotinas, manias e traumas. Concordo plenamente, férias servem para isso e muito mais, tanto eu como o L. concordamos com isso, apesar de não termos ido de férias assim tantas vezes quanto isso.

No meio da conversa, pergunto-lhe descaradamente, apesar de aqui só para nós, já estava a contar com a resposta, mas quis perguntar-lhe o que, afinal, descobriu sobre mim que já não soubesse. A primeira vez que fomos de férias já namorávamos há dois anos, apesar de já termos ido passear muitas vezes, férias no seu verdadeiro sentido nunca tinhamos feito.

A resposta dele foi muito simples, depois de se rir um bocadinho com a minha pergunta:

- Que pergunta fácil! Tu já me tinhas dito muito vezes mas até ver não me acreditava. - riu-se novamente - Tu adormeces em qualquer sitío, consegues ser pior que os bebés e as crianças. - desta vez, ri-me porque, como disse, já esperava a resposta - Tu dormes de pé, nas escadas, num banco de jardim, numa mesa de café, em qualquer lado! E se eu não estiver atento, continuo a andar e tu ali ficas! Ah e mais, consegues dormir mais que eu, o que me choca mesmo porque é muito dificil e ainda dormes muito melhor que eu porque desmaias literalmente. 

 

 

Isto não é totalmente verdade, quer dizer, talvez seja grande parte. Quando fomos a Madrid estava TÃO cansada (escolhi mal o calçado) que adormecia em qualquer lugar. Tenho umas histórias engraçadas neste sentido para contar sobre esta viagem. E rimo-nos sempre imenso quando nos lembrámos de alguma, principalmente quando adormeci durante um concerto que vimos nessa viagem.

 

O amor também é isto, rirmo-nos destes momentos, que no momento não têm muita piada, mas que são histórias!

E por mim ia já de férias amanhã... com um calçado confortável, aprendi a lição em Madrid.

 

Sigam-me noutro sítio

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D