Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Coisas (des)Interessantes

Não penses que o mundo, a vida ou o tempo, te vão devolver alguma coisa daquilo que fazes. Nem tens de pensar isso sequer! Simplesmente faz!

Coisas (des)Interessantes

Não penses que o mundo, a vida ou o tempo, te vão devolver alguma coisa daquilo que fazes. Nem tens de pensar isso sequer! Simplesmente faz!

04
Mar18

Pequenos excertos da obra de August Cury, A Saga de Um Pensador

mudadelinha

" Falcão, fitou vagarosamente o amigo e, como se estivesse estivesse iluminado, disse: 

- Há dois tipos de Deus: um Deus que criou os homens, e outro que os homens criam. Para mim, esses filósofos não acreditavam no Deus criado pelos homens. Eles foram contra a religiosidade da sua época, que dilacerava os direitos humanos, mas não eram ateus puros. Todavia, não posso falar por eles."

 

"- A maioria dessas pessoas vive porque respira. Já não perguntam "quem são", "o que sou". Estão entorpecidas pelo sistema. O ser humano actual não ouve o grito da sua maior crise. Cala a sua angustia porque tem medo de se perder num emaranhado de dúvidas sobre o seu próprio ser. No começo do século XX, a ciência prometeu ser o deus do homo sapiens e responder a essas perguntas. Mas traiu-nos.

- Porque é que nos traiu?

- Primeiro, porque não desvendeu quem somos; continuamos a ser ume enigma, uma gota que por um instante aparece e logo se dissipa no palco da existência. Segundo, porque, apesar do salto na tecnologia, ela não resolveu os problemas humanos fundamentais. A violência, a fome, a discriminação, a intolerância e as misérias psíquicas não foram debeladas. A ciência é um produto do ser humano e não um deus do ser humano. Use-a e não seja usado por ela."

 

" - A sabedoria de um ser humano não é definida pelo quanto ele sabe, mas pelo quanto ele tem consciência de que não sabe..."

 

" Realmente, o choque poderia ser insuportável, ponderou Marco Polo. Mas falharemos cem por cento das vezes que não tentarmos, reflectiu. "

 

" - Os nossos comportamento afectam de três modos as pessoas: alteram o tempo delas; alteram a sua memória, atrvés do registo desses comportamentos; e alteram a qualidade e frequência das suas reacções. Alterando o tempo, a memória e as reacções das pessoas, modificamos o seu futuro, a sua história."

 

" - O conhecimento humanista produz ideias. As ideias produzem sonhos. Os sonhos transformam a sociedade..."

 

"Acima de tudo, os médicos, bem como todos os profissionais de saúde, devem ser vendedores de sonhos. Pois se conseguirmos fazer os nossos doentes sonharem, ainda que seja com mais um dia de vida ou como uma nova maneira de ver as suas perdas, teremos encontrado um tesouro que os reis não conquistaram..."

 

 

Este livro tem 317 páginas, estou na 183. Não é o meu género de livro, daí o tempo que me levou a continuar a sua leitura, mas parece-me que se torna mais interessante a meio, pelo menos foi o que senti. Tem passagens geniais, tem citações maravilhosas, mas é muito filosófico. Para quem gostar deste género de livro, que envolva psicologia e filosofia, como é o caso do L. que me aconselhou esta leitura, este é o autor ideal.

 

Quando acabar a sua leitura dou a minha opinião.

 

29
Jan17

Citações que ficam*

mudadelinha

Tenho saudades de fazer voluntariado. Enquanto estudo e, ando pelo mundo dos blogs, estava a pensar nisso, das saudades que tenho de fazer voluntariado. E, no meio disso, veio-me à memória uma das frases que mais gostei de ouvir até hoje e, que tanto sentido fez na altura. Foi numa formação de voluntariado, o ano passado, com um padre, que todos os meses vinha à faculdade dar-nos umas dicas. Esse mesmo senhor, numa das muitas conversas que teve connosco disse isto:

 

"Há pessoas que nos fazem bem! Há pessoas que não nos fazem bem. E é com as primeiras que devemos ocupar o nosso tempo e a nossa felicidade!".

 

 

21
Out16

Excertos

mudadelinha

"Criar uma família com alguém é muito diferente de namorar. (E atenção que namorar é maravilhoso!) É um compromisso diário, é um promessa de dedos mindinhos enrolados um no outro que dura o resto da vida.É estar com o outro mesmo quando não apetece, mesmo quando odiamos tudo e toda a gente, mesmo quando o outro está mal disposto e "estraga" o nosso bom humor. É ter alguém a entrar pela casa de banho quando nós lá estamos porque está com pressa e tem de lavar os dentes, é olhar para as meias a meio do dia e ver que o calcanhar está de fora porque tiraste as meias 42, não as 36. É dividir o cobertor e a ultima bolacha de chocolate que nós queríamos mais que tudo. É ver o velocidade furiosa 4 quando naquele dia só te apetecia ver o diário da nossa paixão.Viver a dois é um desafio constante porque o outro mora em nossa casa mas não na nossa cabeça. É muitas vezes ter de dizer que a toalha tem de se estender depois do banho,que o jantar tem de se comer quente e que também precisamos de atenção. É aprender que ter razão não é a coisa mais importante do mundo e aprender que não se pode dormir zangado. Mesmo depois da discussão e do fim do mundo, há sempre um pé que encontra o outro no fundo da cama e que fica lá colado como quem diz "sim, isto é fazer as pazes". Viver a dois é aprender que os filmes nos andaram aldrabar. Não nos vão dar flores todos os dias, nem levar a andar de balão nem fazer poemas. Mas há outras provas de amor, como ver o harry potter todos os domingos sem refilar, arrumar a louça toda para que eu não tenha de me mexer e dizer "vai dormir, eu trato de tudo." Há qualquer coisa de muito romântico no "eu trato de tudo". Viver a dois é passar pelas dificuldades e pelas crises sabendo sempre que nada de mau pode ser maior que a vontade de ficar. E muitas vezes o amor é só ficar. Sem dizer nada. Viver a dois é saber perdoar e é também aprender quem são o adrien, o william e o slimani. Viver a dois é respirar fundo e voltar para a sala com um sorriso depois de vermos que o tampo da casa de banho está levantado, mais uma vez (respira). Viver a dois é maior aventura dos crescidos e eu ainda estou a perceber como é que me deixaram cá entrar..."

 

- Carolina Deslandes

 

Não vivo a dois, mas achei este texto delicioso.

Sigam-me noutro sítio

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D